O importante papel da advocacia preventiva
24 de abril de 2018

Um melhor orçamento doméstico pode começar a ser feito a qualquer momento. Daremos algumas dicas sobre com você pode adequar o seu ganho mensal com os gastos para equilibrar as suas finanças

Para algumas pesssoas, cuidar das finanças pessoais é algo bastante complicado e pode parecer impossível de se fazer. Na verdade, para se ter um bom controle financeiro são necessárias pequenas atitudes diárias e uma mudança de pensamento para ajustar desperdícios, gastos não planejados ou que não são prioridade. Basta parar e colocar tudo no papel.

1) Renda mensal

Tudo começa por este item. Ter uma ideia exata de quanto é a renda mensal que você possui é o primeiro passo. É ela que vai dizer o quanto você tem à disposição para gastar. Evite pensar em ganhos futuros que são incertos. Conte sempre pelo que você sabe que vai receber com segurança.

2) Lista de gastos

Para saber o que deverá ser cortado do orçamento e onde está indo seu dinheiro, você precisa fazer uma lista de gastos. Não tem como fugir dela.

É isso que vai te ajudar a visualizar melhor o que é prioridade, o que é desnecessário e também o que pode ser deixado para um futuro próximo com planejamento. Com essa lista pronta você vai poder enxergar mais claramente quando poderá adquirir determinado produto ou bem, sem se arriscar.

3) Controle sobre os gastos

Aquela ideia que temos de que controlando os pequenos gastos vamos transformar a nossa vida financeira é bobagem. É claro que somando todos os pequenos gastos você pode chegar ao final do mês no vermelho. Mas é nas compras grandes que está o risco do endividamento.

A compra de um carro, um apartamento ou até mesmo uma grande viagem que não foi bem planejada financeiramente pode trazer grandes dores de cabeça.

4) Lista de compras

Se você cai facilmente na tentação de comprar algo que não precisa, a lista de compras pode ajudar bastante. Vale tanto para as compras de supermercado, como roupas, sapatos, utensílios.

Costume deixar essa lista em algum lugar acessível e vá completando somente com aquilo que realmente é essencial. Tente se manter fiel ao seu planejamento e não cair no impulso de comprar coisas extras.

5) Evite as compras mensais

Uma forma de evitar o desperdício é evitar fazer compras mensais no supermercado. Aquela ilusão de que comprando tudo de uma vez você não precisará voltar ao supermercado não funciona. Sabemos que uma vez ou outra acabamos voltando a comprar mais produtos para complementar algum item que não estava previsto.

O ideal é que faça compras semanais. Assim você evita que os alimentos estraguem por passar da validade.

Também fica mais fácil perceber quando é a hora de economizar um pouco mais, se estiver chegando no valor máximo planejado para gastar com supermercado. Se você chegar ao final do mês com uma sobra de orçamento, você pode preparar uma comida especial ou então guardar o dinheiro para o próximo mês.

6) Débito automático

Esse recurso serve para evitar que você se esqueça de pagar alguma conta importante e para isso precise pagar juros . Você pode colocar em débito automático aquelas contas que são cobradas mensalmente como água, luz e telefone.

7) Cartão de crédito

Outro ponto bastante importante é realizar um acompanhamento diário ou pelo menos semanal da sua fatura de cartão de crédito.

Você é daquelas pessoas que saem passando tudo no cartão, sem se importar em ver quanto está gastando? E só fica sabendo da sua real situação quando a conta chegar? Você corre um sério risco de se endividar fazendo um parcelamento desnecessário do cartão por extrapolar o seu orçamento.

Normalmente estes parcelamentos possuem juros altos e se você precisar fazer um empréstimo para quitá-los, os juros podem ser mais altos ainda.

8) Poupe para emergências

É muito importante poupar um pouco de dinheiro todos os meses para casos de emergência. Assim você evita ter que recorrer a um empréstimo a juros absurdos, em casos de urgência. Se preferir, você pode também aplicar este dinheiro em um fundo de investimento para que renda enquanto não é utilizado.

9) Planos de saúde e seguro

Para evitar também gastos altos que não foram planejados, é essencial que se programe para pagar um plano de saúde. Isso pode parecer um gasto a mais em seu orçamento, mas com certeza vai compensar no caso de algum acidente ou doença. Já sabemos que os hospitais cobram caro pelos serviços e os centros públicos muitas vezes não oferecem a especialidade que você precisa na rapidez necessária.

Os seguros também parecem um inconveniente quando montamos a lista de gastos e podem ser o primeiro item a ser cortado quando falamos em economizar. Mas a frase que diz que o barato sai caro, funciona perfeitamente nesses casos. O seguro contra acidentes, de veículos e residenciais valem muito a pena para evitar futuros prejuízos.

10) Uso de Apps

Os famosos apps são aplicativos que existem atualmente para acessar e controlar diversas áreas de nosso dia a dia. A maioria dos bancos possuiu o seu, onde você pode entrar em sua conta corrente pelo celular para saber seu saldo e fazer movimentações como transferências e pagamentos online.

Além desses aplicativos bancários, existem outros que ajudam você a cuidar melhor da sua sua vida financeira. Podem ser instalados em celulares, notebooks, computadores, entre outras plataformas e são mais dinâmicos do que as tradicionais planilhas. Alguns exemplos são os aplicativos Finance, Money Wise, Minhas Economias, entre outros.

Se você está passando por algum tipo de transtorno ocasionado por problemas com bancos ou endividamento e quer mudar a sua situação, consulte os advogados especialistas no assunto.

Fonte: MundoAdvogados.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *